Em frente, vamos!.

EM FRENTE, VAMOS! Com presença, serenidade e persistência, há boas razões para esperar que isto é um bem...

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Uso, abuso e desuso

 
A vida está repleta de arcaísmos; peças, projetos, expressões, coisas que o tempo, e as alterações provocadas pelo mesmo no desenvolvimento humano, deixaram para trás no uso que era de ponta num determinado período da humanidade, da natureza, do mundo. Portanto, a pressão dos elementos e o desgaste provocado pelas idades do Homem, encaminham para o desuso o que parecia único, exclusivo, a última palavra!
Esta conclusiva, suscita a reflexão sobre o uso dos recursos, a natureza dos mesmos num período finito, mesmo quando aplicada a perspetiva filosófica da lei de Lavoisier “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma".
Na verdade, “Lei da Conservação das Massas” aplicada às ciências sociais, "numa reação química que ocorre num sistema fechado, a massa total antes da reação é igual à massa total após a reação", projeta-nos o abuso a que tantas oportunidades são colocadas!
Nesta trilogia, mais ou menos dinâmica, encontramos realidades tão dignas e expressivas que provocam, ou deveriam provocar, uma reflexão séria. O uso, o abuso e, pela pressão e descredibilização, o desuso, o sincretismo, a mistura do trigo e do joio.
Casos como o sistema de saúde, o sistema de educação (em particular a escola pública), a justiça, a segurança social, as fundações, banqueiro e bancário, político, rigor, organização, método são alguns dos exemplos votados ao despesismo e consequentemente esquecidos, aniquilados nas preocupações dos decisores e utentes dos mesmos.
Os atores destes serviços essenciais à vida das pessoas, dos cidadãos, estão votados ao arcaísmo, pior até em muitos casos, considerados como autênticos energúmenos que se deseja estripar.
Quem provoca esta confusão de dados? A quem serve o laxismo, a generalização do acidente (no percurso) como sendo a essência das coisas?
Provavelmente, o abuso da deturpação e demagogia oculta algumas tentativas de, pela massificação, criar terreno fértil a uma nova ordem, seja ela qual for e como for.
in Correio do Vouga, 2012.10.10







Nenhum comentário: